Natura On Line

sábado, 5 de julho de 2008

Biografia de Dietrich Bonhoeffer(1906 - 1945)

Wer Bin Ich? Quem Sou Eu?
Dietrich Bonhoeffer

Quem sou eu?
Freqüentemente me dizem
Que saí da confinação da minha cela
De modo calmo, alegre, firme,
Como um cavalheiro da sua mansão.
Quem sou eu?
Freqüentemente me dizem
Que falava com meus guardas
De modo livre, amistoso e claro
Como se fossem meus para comandar.
Quem sou eu? Dizem-me também
Que suportei os dias de infortúnio
De modo calmo, sorridente e alegre
Como quem está acostumado a vencer.
Sou, então, realmente tudo aquilo que os outros me dizem?
Ou sou apenas aquilo que sei acerca de mim mesmo?
Inquieto e saudoso e doente, como ave na gaiola,
Lutando pelo fôlego, como se houvesse mãos apertando minha garganta,
Ansiando por cores, por flores, pelas vozes das aves,
Sedento por palavras de bondade, de boa vizinhança
Conturbado na expectativa de grandes eventos,
Tremendo, impotente, por amigos a uma distância infinita,
Cansado e vazio ao orar, ao pensar, ao agir,
Desmaiando, e pronto para dizer adeus a tudo isto?
Quem sou eu?
Este, ou o outro?
Sou uma pessoa hoje, e outra amanhã?
Sou as duas ao mesmo tempo?
Um hipócrita diante dos outros,
E diante de mim, um fraco, desprezivelmente angustiado?
Ou há alguma coisa ainda em mim como exército derrotado,
Fugindo em debanda da vitória já alcançada?
Quem sou eu?
Estas minhas perguntas zombam de mim na solidão.
Seja quem for eu, Tu sabes, ó Deus, que sou Teu!

Impossível falar em cristianismo nos dias atuais sem nos lembrarmos desse jovem. Sua força e coragem, frente a um regime tão brutal como o nazismo, nos faz pensar em como praticamos um evangelho fraco e longe daquilo que podemos fazer para o Senhor. Um mártir com certeza, como já foi muitas vezes falado.
Um exemplo a ser seguido em termos de fé. Um jovem para ser lido e pensado.
Nascido em Breslau em 4 de fevereiro, filho de um Psiquiatra de classe média alta. Quando jovem decidiu-se seguir a carreira pastoral na Igreja Luterana, doutorou-se em teologia na Universidade de Berlim e fez um ano de estudos no Union Theological Seminary em Nova York e tornou a Alemanha em 1931.
Bonhoeffer foi um dos mentores e signatários da Declaração de Bremen, quando em 1934 diversos pastores luteranos e reformados, formaram a Bekennende Kirche, Igreja Confessante, rejeitando desafiadoramente o nazizmo: "Jesus Cristo, e não homem algum ou o Estado, é o nosso único Salvador".
Obviamente o movimento foi posto em ilegalidade e em Abril de 1943 foi preso por ajudar judeus a fugirem para a Suícça. Levado de uma prisão para outra, em 9 de abril de 1945, três semanas antes que as tropas aliadas libertassem o campo, foi enforcado, junto com seu irmão Klaus, e cunhados Has von Dohnanyi e Rudiger Scheleicher.
Sua obra mais famosa, escrita no período de ascenção do nazismo foi "Discipulado" (Nachfolge) na qual desenvolve a polêmica acerca da teologia da graça, fundamento da obra de Lutero. O livro opõe-se a ênfase dada à "justificação pela graça sem obras da lei", afirmando que a graça barata é inimiga mortal de nossa Igreja. A nossa luta trava-se hoje em torno da graça preciosa que é um tesouro oculto no campo, por amor do qual o homem sai e vende tudo que tem (...) o chamado de Jesus Cristo, ao ouvir do qual o discípulo larga suas redes e segue (...) o dom pelo qual se tem que orar, a porta a qual se tem que bater. Destas linhas já se denota o profundo "fazer teológico poético" que tanto caracteriza a obra de Bonhoeffer.
Quando já estava sendo perseguido pelo nazismo, Bonhoeffer escreveu um tratado considerado por muitos uma das maiores obras primas do protestantismo, que denominou simplesmente "Ética". É nesta obra que ele justifica, em parte, seu engajamento na resistência alemã anti-nazista e seu envolvimento na luta contra Adolf Hitler, dizendo que "É melhor fazer um mal do que ser mal".
Suas cartas da prisão são um exemplo de martírio e também um tesouro para a Teologia Cristã do século XX.
Livros de sua autoria publicados no Brasil
Ética, Editora Sinodal, 2005

Discipulado, Editora Sinodal, 2004
Resistência e Submissão: Cartas e Anotações Escritas na Prisão, Editora Sinodal, 2003

Tentação, Editora Sinodal, 2003
Vida em comunhão, Editora Sinodal, 1986

Livros sobre Bonhoeffer publicados no Brasil
Dietrich Bonhoeffer: cristianismo e testemunho, Ir. Miriam Cunha Sobrinha, Editora Edusc, 2006

Dietrich Bonhoeffer: Vida e Pensamento, Werner Milstein, Editora Sinodal, 2006
Bonhoeffer: o mártir, Craig J. Slane, Editora Vida, 2007.
Filmes
Bonhoeffer: O Agente da Graça, Comev, 1999

Fonte Wikipedia