Natura On Line

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Páscoa Cristã no Paquistão


Grande número de cristãos é esperado para cultos de Páscoa

Os cristãos paquistaneses terão que celebrar a Páscoa em silêncio, assim como fizeram no Natal. Na ocasião, as igrejas comemoraram a data de maneira discreta. Do lado de fora, não havia luzes ou decorações para marcar a data, por temer ataques de extremistas muçulmanos. Para um líder cristão, esse também um tempo para discrição. Até agora, não houve nenhum incidente ou ataque por causa da data cristã, mas o perigo ainda é real.

Mesmo com a insegurança, os fieis devem comparecer em grande número para os cultos de Páscoa, pois a fé deles é “inabalável”, afirma o líder. A segurança deve ser garantida, mas o posicionamento estratégico das forças de segurança não é o bastante. Os cristãos devem assumir essa responsabilidade em oração.

Enquanto o extremismo religioso cresce no Paquistão, os não muçulmanos continuam a ser vítimas da discriminação e perseguição. Isso se une à crise global, bombardeios, aumento de preços, e desemprego. Tais problemas estão encorajando os extremistas a lutarem contra o governo. As pessoas se sentem inseguras mesmo dentro de suas casas.

Apesar dos perigos e incertezas, o líder manda uma mensagem de esperança para os cristãos que estão se preparando para celebrar a Páscoa. Até a mídia televisiva vai cobrir os eventos. Mesmo com medo e preocupados, os cristãos não permitirão que o temor os domine.

O líder religioso fez um pedido para a imprensa e para os cristãos ocidentais, para que “orem pelos cristãos paquistaneses”, pois esse apoio é fundamental para a sobrevivência deles.

Tradução: Missão Portas Abertas
Fonte: http://www.portasabertas.org.br