Natura On Line

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Quando seu filho pergunta sobre Deus



Para todos os pais , essas perguntas podem estar entre as mais difíceis e as mais importantes.
Kristin Von Kreisler


Uma tarde quando Kim Flodin conversava com a filha Yasmine, quatro anos, a menina perguntou por que a pele da babá era mais escura do que a dela. Isso levou a uma conversa sobre as diferenças físicas entre as pessoas.
- Deus nos ama a todos, não importa a cor de nossa pela – disse a mãe.
- De que cor são os olhos de Deus? Indagou Yasmine.
Flodin fez uma pausa.
-Ah, não sei.
-Deus está sempre conosco? Foi a pergunta seguinte.
Outra pausa.
-Claro.
- Então onde este Deus?
-Yasmine, é difícil falar sobre isso.
Tão difícil, alias, que mais tarde Flodin foi pedir auxilio à diretora da escola maternal paroquial da filha. “Quero que Yasmine tenha o conforto da oração e uma referencia de certo e errado”, diz Flodin. “Mas como ajudar minha filha, pois se baseiam em crenças e não em provas cientificas?”
Muitos pais têm a mesma preocupação de Flodin. Mesmo que consigam conversar facilmente com os filhos sobre o colégio e outros assuntos podem ficar perdidos ao discutir algo abstrato como Deus.
No entanto falar sobre Deus pode ser o melhor meio de atender algumas necessidades fundamentais da criança.
Diz o rabino Harold Kushner, autor de When Children ask about God (Quando as crianças perguntam sobre Deus):” É importante falar sobre Deus como meio de explicar as coisas do mundo, como a beleza da natureza, o nascimento de um bebê, a morte de um amigo. Junto com essas explicações surge um sentimento de reverencia. Algo na alma das crianças anseia pela maravilha e pelo mistério.”.
Falar sobre Deus também pode ajudar a tornar as crianças mais seguras. “Como Deus é constante e superior a todas as mudanças, pode dar às crianças apoio e referencial moral, num mundo em que tudo é tão transitório”, explicar a pastora Anne Wetherholt.
No caso de muitas crianças, o problema é que os pais dirigem toda a energia delas para atividades variadas – de aulas de musica a uso de computadores -, mas deixam de lado a lição da fé. Esses pais esquecem-se de que o dizem e fazem- ou não dizem e não fazem – tem impacto duradouro sobre sos filhos.
O melhor meio de desenvolver a vida espiritual de nossos filhos é falar sobre Deus francamente e com simplicidade. A regra geral concordam muitos especialistas, é deixar que as crianças dirijam a conversa – e a seguir acompanhar com perguntas, percepções se idéias, Depois que a filha lhe fez perguntas Kim Flodin começou a pensar em como responder. Mais tarde, a menina quis saber por que não podia ver Deus. “Porque”, disse-lhe Flodin então, “Deus é como o vento. Não podemos vê-lo, mas podemos senti-lo. Deus está em nosso coração quando nos amamos uns aos outros.”
Saber antecipadamente o que esperar das crianças à medida que vão compreendendo a existência de Deus poderá ajudar você a sentir confiança quanto ao que dizer a elas.
*************************************************************************************
(Artigo extraído da revista Seleçoes abril de 1998. Em próximo momento colocarei sobre os estágios de crescimento espiritual da criança e como abordar sobre Deus).