Natura On Line

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Chuvas a seu tempo


Deuteronômio.32:2 Goteje a minha doutrina como a chuva, destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva.

Após um longo periodo de estiagem, enfim, a chuva. Chuva forte, com vento. Pesada. Lavando as plantas, o chão e a nossa alma. Que coisa boa! Com todos os inconvenientes, como sair para trabalhar com sombrinha, chão molhado, nada melhor que ver toda essa água caindo do céu e ver o tempo refrescar. Imagino que um caminhante no deserto se sinta assim. A natureza agradece.