domingo, 12 de julho de 2009

Um pouco de amizade

Quantas vezes na vida nos sentimos desamparados, sozinhos e indefesos? Quantas vezes na vida ansiamos por alguem em quem confiar? O mundo seria perfeito se pudessemos confiar em todos. Isso não acontece. As pessoas às vezes são imperfeitas, pequenas, mesquinhas. Ainda bem que nem todos. Ainda encontramos gente que toca nosso coração e que pensamos, queremos como amigo, vale a pena investir para ter essa amizade. Cada um de nós pensa em si proprio, em seu proprio bem. Não é errado, mas até que poderíamos sermos menos egoistas.

Desejamos o bem do outro sim, na maioria das vezes para nossa propria satisfação.

Amigos são raros. São como pérolas que procuramos no fundo mar. Corremos riscos.Corremos riscos de nos magoar, de nos sentirmos traídos, será que vale a pena nos envolvermos com as pessoas?

Estamos no mundo. Vivemos em sociedade, cercados de gente por todos os lados. Que fazer? Ficar na internet via online ou tentarmos nos aproximar e correr riscos? De uma forma ou de outra corremos riscos: de nos ferirmos ou de ficarmos sós. Que será que vale mais a pena?

Quero dizer que Jesus é o amigo maior e supre todas as nossas necessidades.
Estou sendo verdadeira, mas não totalmente. Gosto de gente. Gosto de conhecer pessoas, gosto de amar pessoas. Gosto de conhecer e entender suas vidas. Vidas são tão interessantes! Olhamos alguem e não imaginamos o mundo que vai dentro do seu coração. Suas triztezas, suas alegrias, angustias, esperanças e tudo mais. Gosto de descobrir isso. Não é uma simples curiosidade, é uma vontade grande de ter comunhão, de participar.

Não podemos ser assim com todo mundo e nem quero tambem. Algumas pessoas são mais interessantes que outras e nos relacionamentos é preciso empatia.

Outro dia pediram-me para aconselhar uma senhora com muitos problemas e não consegue tocar a vida para frente. Tivemos a oportunidade de conversar. Falei, falei, ela chorou. Infelizmente não consegui penetrar totalmente no seu coração e pouco pude ajudá-la. Faltou empatia suficiente para que ela pudesse saber que eu realmente me importava. Não nos importamos com todo mundo. Seríamos perfeitos se pudessemos fazer isso. Não somos. Perfeito é Deus. Nosso Pai. Conhecemos pessoas e pessoas. Algumas conseguimos manter perto de nós, outras não.

Quero tantos amigos quantos o Senhor me der. Poucos talvez, verdadeiros sempre.
Com carinho para Isabel que acabei de conhecer.